Apresentação de Trabalhos

e Eixos Temáticos

Eixos Temáticos

1. Geografia Latino-Americana no Século XXI

Na América Latina a Geografia assume particularidades. A apropriação do espaço por povos tradicionais, diferentes regiões e culturas e suas atividades, bem como agentes externos imprimiram características próprias no território e no pensamento da Geografia Latinoamericana. Sob eternos ataques aos seus recursos naturais e povos desde a época colonial, os países dessa chamada América Latina, tão díspare e heterogênea, são um campo muito rico para diversas ciências, e no caso da Geografia e demais ciências sociais a importância é diversificada e potencializada. A fim de conhecer e refletir mais sobre os processos e os pensamentos, e epistemologia da Geografia na América Latina convoca-se trabalhos que estudam e proponham reflexões sobre a Geografia histórica e atual neste contexto.

2. Ensino de Geografia no Contexto da América Latina

O ensino de Geografia é uma prática socioespacial fundamental para formar interpretações e visões de mundo. No contexto da globalização, reflexo da perversa herança histórica de atuação dos agentes político-econômicos hegemônicos, a educação tem ameaçada sua produção de subjetividades em favor da manutenção da ordem social do capital. Faz-se necessário pensar, tanto no saber e fazer geográfico na esfera do ensino latinoamericano, quanto na defesa do papel do professor e do direito à educação gratuita de qualidade. Respeitando características culturais, regionais e territoriais da América Latina, através da representação do espaço geográfico (em sua complexidade e totalidade) por meio dos discursos curriculares e das diversas linguagens.

3. Exploração dos Recursos Naturais no século XXI

Neste continente a exploração dos recursos naturais é histórica, como também os conflitos gerados a partir deste processo. Os impactos foram inúmeros no contexto social e ambiental. A exploração dos recursos naturais no século XXI, levando em conta este passado, está em pauta nas discussões da população, do poder público e da sociedade civil organizada. Muitas são as ações de conter a investida de empresas (nacionais e internacionais) contra os recursos dos países latinoamericanos. Em uma nova época de entrega às transnacionais do petróleo, vários minerais, nossas florestas e a biodiversidade, é necessário conhecer os estudos e pesquisas sobre nossos recursos, bem como ações para mapeá-los e planejar seus usos e manejos. Desta forma, é importante conhecer métodos, técnicas e tecnologias utilizadas para isso, como os estudos de zoneamentos costeiros, práticas de preservação, a degradação de áreas de interesse ambiental (que implicam na dimensão social também), e os impactos das atividades turísticas, são alguns exemplos.

 

4. Mídia, Informação e Território na América Latina

Os meios midiáticos são as fontes de informação mais populares no cotidiano da sociedade contemporânea. Os fluxos de informações são voláteis e de difícil controle, porém influenciam decisões políticas e também afetam a organização territorial. Nos últimos anos a América Latina ganhou projeção internacional, seja pelo desenvolvimento acelerado de seus países ou pelas crises financeiras e políticas que historicamente interferem na geopolítica latino americana. Com proposta de fomentar o debate sobre as mídias de massa, ou mídias alternativas, sobre a informação e fluxo de informação e sobre questões territoriais, este eixo busca a reflexão desses temas relacionando-os às lutas dos movimentos sociais; à organização territorial; às políticas públicas dos países latino americanos frente à globalização e o sistema mundo atual.

5. Resistências Índigena, Camponesa e Quilombola

A Questão Indígena, Quilombola e Camponesa na América Latina, um tema que traz debates entorno de políticas, território e resistências em contextos complexos e conflitantes. O objetivo deste eixo é trazer em pauta as informações, tecer reflexões sobre as principais dinâmicas conflitivas e de resistência em torno do tema Indígena, Camponês e Quilombola na América Latina. Mostrar ações, pesquisas, organizações e movimentos sociais envolvidos nestes temas. Mas também apresentar as violências contra pessoas e comunidades, expulsão e questões territoriais, a proibição de usos tradicionais e a ocupação de terras. Evidenciar os atos e manisfestações, denúncias e outras formas de reinvindicações são alguns pontos fundamentais neste eixo e que podem ser apresentados e levantados.

6. Luta LGBTTT e o Feminismo

Gênero é uma temática contemporânea que se apresenta com uma agenda intensa e complexa no atual momento. Nestes pós-golpes, onde uma série de avanços ocorridos na luta LGBTT, as politicas contra as opressões de gênero vem sendo, de forma direta, ameaçadas. O conservadorismo que está avançando, o aumento do assassinato de LGBTs, a Transfobia e o Feminicídio, ataques a mulheres em transportes públicos, a criminalização do debate de gênero nas escolas, a criminalização do aborto e a propagação da cultura do estupro, são exemplos do retrocesso e tempos díficeis. Este eixo tem como prespectivas a contribuição para o desenvolvimento do ensino teórico e metodológico deste campo do saber, levantar como a ciência geográfica tem apropriado e estruturado suas reflexões considerando o debate sobre gênero. Mas também trabalhos que tratem da questão de gênero não apenas a partir da abordagem geográfica, para ampliar assim as discussões sobre este tema.

7. Análise Espacial (SIG), geotecnologias e suas aplicações

Aplicação de sistemas de informação geográfica, técnicas de análise geoespacial e de dados obtidos por sensoriamento remoto na modelagem espacial e no mapeamento de sistemas físico-geográficos. A cartografia como linguagem e mecanismo de apropriação e expressão de um discurso acerca do conhecimento sobre o território, assim como os processos políticos que determinam a representação social com relação ao espaço e território. Compreender os desafios atuais no contexto do planejamento ambiental, das lutas sociais, do ordenamento e gestão territorial.

8. Geografia Urbana e Urbanização no contexto Latinos

A urbanização na América Latina foi imposta como um modelo de progresso e suas implicações reverberam ainda, seja em grandes cidades, em Regiões Metropolitanas ou na Macrometrópole Paulista, mas também em cidades pouco urbanizadas e que tem sua malha urbana em expansão atualmente. Enquanto um modelo de reprodução do capital e homogeinização do espaço a urbanização contribui para processos concomitantes e consequentes a ela: financeirização do território, as novas relações de centro-periferia, circuitos da economia urbana, a formação da favelização e enclaves fortificados, metropolização, mobilidade urbana, movimentos sociais urbanos e reivindicações por moradia e reforma urbanas, entre outros. Dessa forma, este eixo contempla a gama de trabalhos sobre a Geografia Urbana no contexto da América Latina, bem como outras áreas que contribuam para os estudos urbanos.

9. Geografia Política, contextos sociais e interações espaciais

A discussão sobre a Geografia Política levando em consideração o território de um determinado país ou região, onde o Estado assume o lugar do eixo central das investigações que aparece nas relações internacionais, implicando em estudar as relações econômicas e geoestratégicas, que iniciam entre as nações ou Estados. De fato, essas interações espaciais na gestão do território do Estado, criando um meio pelos quais eles estabelecem o controle no limite de sua fronteira. Tais processos espaciais permitem lhes exercer as funções de política na gestão de conflitos e estratégia que surgem dentre ou entre as diversas comunidades nacionais ou locais. Ações que por si só são importantes de ser estudadas e analisadas no contexto latinoamericano. Dessa forma, este eixo abarcanha trabalhos e discussões acerca da soberania sempre tão frágil nessa região do globo, bem como os contextos sociais pertinentes e interações espaciais provenientes das relações políticas entre países, comunidades e regiões.

Apresentação de Trabalhos e Normas

Esta atividade contempla a apresentação de trabalhos (pesquisas em andamento, concluídas e relatos de experiências), dentro das nove temáticas apresentadas. Nas apresentações de trabalhos, tanto os apresentadores como os participantes sem trabalhos inscritos têm a oportunidade de discutir, apresentar experiências e trocar informações. Cada autor poderá inscrever apenas 01 trabalho (individual) e como co-autoria estar presente em 1 trabalho. O autor-debatedor, para obtenção do certificado, deverá tomar parte presencialmente nas discussões do seu eixo e mais um outro eixo. A confirmação da presença será pela assinatura da lista, disponível na sala de apresentação do trabalho.

 

O certificado expedido será de apresentação de trabalho na XI Semana de Geografia 2018. Quanto a(os) autor(es) e co-autor(es) que não estiverem presentes na apresentação e não cumprirem a carga horária mínima da atividade, estes não receberão certificado de apresentação de trabalho no evento, mas terão seus nomes publicados nos Anais do evento.

 

Importante: O trabalho só será publicado caso seja efetivamente apresentado pelo(s) autor(es) e/ou co-autor(es) durante a apresentação de trabalhos e cumprida a carga horária mínima da atividade.

 
As áreas constituem as diretrizes para a sistematização dos trabalhos a serem apresentados.

PRAZO: Envio até 28 de maio de 2018 - envio do Resumo

Resultado dos resumos selecionados: 16 de julho de 2018

E-mail para envio dos trabalhos: geografia.semana@gmail.com - indicar o eixo temático escolhido no campo "ASSUNTO"

Normas para envio dos resumos :

Máximo 600 palavras. O resumo deverá ser elaborado sem parágrafo e em corpo único (deverá abordar Introdução, Objetivos, Metodologias, Resultados). Palavras-chave (até 3).

Normas para envio dos trabalhos completos:

Fonte: Times New Roman, tamanho 12, entre linhas 1,5 linha, máximo de 10 páginas. Margem superior e inferior 2,5cm, direita e esquerda 3,0cm. Deverá conter: Introdução, Objetivos, Metodologia, Resultados Preliminares, Considerações Finais e Bibliografia segundo a ABNT. Nome dos autores no início da página e a direita, linha abaixo a indicação complementares: instituição, e-mail. Título centralizado. Cada capítulo, em caixa alta, seguido de um espaço.

Os trabalhos completos serão enviados por email a partir do dia 01 de agosto de 2018, tendo como prazo limite para submissão a data de 17 de setembro de 2018. Este novo formato de envio de trabalhos após o término do evento tem o objetivo de possibilitar que cada participante inclua as discussões realizadas durante a semana no trabalho final, contribuindo com um processo de construção do conhecimento que leve em conta a multiplicidade de trajetórias dos participantes nos diálogos estabelecidos nesses espaços. Os Anais da XI Semana de Geografia | 2018 serão publicados com os trabalhos finais enviados no prazo estipulado (até 17 de setembro de 2018).

imagem: Performance , Elvira Santamaria

© 2018 por Caio Gusmão Ferrer. Criado com Wix.com

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now